SELECIONE O SEU IDIOMA: pt pt en

Clima laboral contribui para resultados da Telecinco

O Grupo Telecinco constitui o maior grupo privado de comunicação social em Espanha, tendo como atividade mais relevante a exploração do canal de televisão Telecinco. Desde 1990 e até final de 2004, foi o segundo canal com maior audiência, ficando a uma distância mínima (2%) do principal canal público de televisão espanhola (RTE1). Em 2005, durante o primeiro semestre, o canal Telecinco foi líder de audiências.

Aumentar a produtividade e a motivação

O desenvolvimento e exploração do espaço publicitário do canal de televisão Telecinco são da responsabilidade do Grupo Publiespaña, que, por sua vez, é detido pelo Grupo Telecinco. Em 2004 a Publiespaña voltou a alcançar a liderança de mercado, com um volume de faturação recorde, totalizando 633,7 milhões de euros, que se traduz num aumento de 11,7%, o dobro da taxa de crescimento estimada para o setor (6%).

Com o êxito da entrada em bolsa e no IBEX-35 do Grupo Telecinco, ao qual pertencem as empresas Publiespaña e a Publimedia, a Direção de Recursos Humanos sentiu necessidade de fazer face a novos desafios, entre eles a retenção dos Recursos Humanos mais importantes.

Neste âmbito, o objetivo era construir um sistema de gestão de Recursos Humanos que ajudasse a desenvolver a capacidade de cada empregado e a retê-lo na empresa, aumentando a sua produtividade e motivação.

Para o efeito, solicitou o apoio da Leadership Business Consulting. O objetivo imediato era identificar o posicionamento relativo da Publiespaña no que respeita ao clima laboral e aos benefícios sociais oferecidos aos empregados.

Ambiente laboral é determinante 

Perante este objetivo a LBC elaborou uma metodologia através da qual se podia avaliar o posicionamento numa escala global e também por categoria profissional, relativamente a empresas concorrentes e a outras empresas do IBEX-35. Ao mesmo tempo, identificou as melhores práticas no mercado e realizou uma análise gap entre a Publiespaña e as outras empresas do índice.

A informação recolhida é analisada através de uma ferramenta estatística que permite realizar análises multivariáveis, por categoria e função do colaborador e ainda por localização do escritório. Tudo isto permite identificar áreas de melhoria em secções e posições específicas dentro da empresa. Após a análise e apresentação dos resultados, são desenvolvidas sessões de trabalho, compostas por grupos de entre 8 e 10 pessoas, incluindo uma mistura aleatória de funções dentro da empresa. Nestas sessões de trabalho são utilizadas metodologias consolidadas como a “metaplan”, “3 chapéus”, “K7”, “roleplays” e “brainstorming” para chegar a uma lista de áreas de melhoria na empresa e definição de ações que conduzam à sua concretização.

Em entrevista à LBC, o diretor de Recursos Humanos do Grupo Publiespaña, Javier Mateos, explica como o ambiente laboral é determinante para assegurar a liderança de uma empresa e os desafios que a área de Recursos Humanos enfrenta devido às mudanças do mercado e à pressão da competitividade.

Quais são os principais objetivos da empresa para o próximo ano? 
Numa área tão dinâmica como a publicitária e face ao novo panorama televisivo que se apresenta em Espanha, (a concessão de um novo canal aberto – Canal 4) o objetivo principal é manter a liderança em todas as facetas do setor, isto é, liderança no share, liderança na rentabilidade e liderança na inovação. Pretendemos, portanto, continuar a ser a cadeia líder de Espanha.

Como é que os Recursos Humanos podem ajudar a cumprir esses objetivos?
A nossa filosofia como Departamento de Recursos Humanos é sermos sócios estratégicos da direção geral da empresa. Neste contexto, somos membros do Conselho de Administração, sendo nossa
responsabilidade conceber a estratégia da empresa no que respeita aos Recursos Humanos, nomeadamente, atração e retenção de talentos, motivação, política salarial, formação, etc.

Quais são os desafios mais imediatos que enfrenta como diretor de Recursos Humanos? 
Perante a entrada de uma nova cadeia no mercado espanhol, o nosso desafio mais importante é evitar a fuga de talentos, porque por sermos líderes de mercado, as outras televisões dirigem-se a nós para captar profissionais. Esta é a nossa grande missão. Por este motivo, é extremamente importante medir o ambiente laboral dentro da empresa.

Como e com que frequência medem o ambiente laboral dentro da empresa?
O ambiente laboral mede-se de dois em dois anos dentro do grupo. Analisamos cinco áreas fundamentais: cultura, comunicação, estilo de direção, posto de trabalho e conciliação vida profissional/familiar. Uma vez apresentados os resultados à empresa, organizamos grupos de trabalho para reduzir as nossas debilidades e manter e reforçar os nossos pontos fortes.
O êxito do diagnóstico está no facto de uma empresa exterior, neste caso a Leadership Business Consulting, gerir todos os dados, o que tem como resultado conclusões credíveis, porque são independentes.

Que impacto teve nos Recursos Humanos a entrada da Telecinco na bolsa?
Foi um feito histórico. Não só pelo próprio acontecimento, mas também porque em seis meses passamos a fazer parte da IBEX-35, uma das 35 melhores companhias do país.

Como vê as inovações em matéria de gestão de Recursos Humanos? Ferramentas de trabalho à distância, flexibilidade de horários, benefícios one-to-one? Acha que são facilmente aplicáveis em países de origem latina como são os casos de Espanha, Portugal e Itália? 
Em empresas latinas é muito complicado implantar esse tipo de flexibilidades porque impera uma cultura de permanência. No entanto, na Publiespaña combatemos o desenvolvimento deste tipo de cultura. Nós premiamos mais a eficácia e os resultados do que a permanência. Para este efeito, definimos para todos os elementos da empresa objetivos concretos em termos de resultados a atingir. Só em companhias onde exista uma direção orientada para os resultados se pode implantar a flexibilidade horária, teletrabalho, etc.

Artigos relacionados

 

O talento cultiva-se. E retém-se

Os colaboradores são o centro do seu negócio, apesar de, enquanto líder, poder não o sentir algumas vezes. Sem trabalhadores talentosos, o negócio entra em dificuldades e acaba por colapsar. 
 

Equipa desmotivada? Os sinais são bem visíveis

Quando o entusiasmo no trabalho esmorece, as tarefas que no início pareciam emocionantes podem parecer banais e menos desafiantes. É aqui que entra o líder, que tem de se certificar que a equipa com quem trabalha permanece motivada. 

 

Mau ambiente? Há 5 formas de não deixar mal os seus funcionários

Os seus colaboradores estão satisfeitos com as tarefas que desempenham? O seu escritório tem um bom ambiente? A cultura da empresa é acarinhada e promovida? Se a resposta é “não” ou “não sei”, está a falhar enquanto líder em cinco aspetos.

 

In Leadership Agenda N.º 1 (publicação que tem por objetivo divulgar metodologias e novas ideias nas áreas da gestão e da liderança, tendo por base o centro de competência e o conhecimento adquirido pela Leadership Business Consulting em mais de 900 projetos realizados em oito países nas áreas da estratégia, marketing e finanças, organização e gestão da mudança, operações e performance, desenvolvimento de talento, formação ou tecnologias de informação).