SELECIONE O SEU IDIOMA: pt pt en

Conhecer primeiro para agir depois

Grupo Berger
“Saber o que queremos mudar” e “implementar uma determinada estratégia” deve ter como ponto de partida o conhecimento da realidade e do ambiente de trabalho. Questionar antes de agir é a premissa fundamental para o sucesso.

“Fotografia” da organização

Todas as ações realizadas sobre a estrutura organizacional das empresas, assim como sobre as pessoas que as compõem, tocam as partes mais sensíveis das organizações. Neste sentido, é de vital importância abordar as ditas ações analisando previamente as organizações, as perceções dos trabalhadores e onde se pretende chegar.

Caso contrário, as ações levadas a cabo de forma aleatória ou pouco condizentes com a realidade dificilmente se traduzirão nos resultados concretos e esperados.

A Leadership Business Consulting realizou um projeto de Estudo de Clima Organizacional na Bergé Automotive Logistics (BAL), com o objetivo de conhecer a realidade da organização envolvendo os escritórios centrais e diversos centros logísticos espalhados por toda a Espanha.

O projeto teve como objetivo a realização de uma “fotografia” da organização em termos de clima laboral e da satisfação de todos os colaboradores, como base para futuras atuações a nível organizacional e de recursos humanos.

Execução do projeto

Este exercício demonstrou que, para a BAL, a aplicação da estratégia corporativa passa necessariamente por este conhecimento da realidade que a empresa vive nas suas distintas vertentes. A empresa entende que só partindo da realidade percebida pelos funcionários é que as políticas e estratégias corporativas podem implementar-se de forma adequada para conseguir os resultados que o mercado e a empresa exigem. A execução do projeto caracterizou-se pelos seguintes aspetos:

  • Averiguação do clima laboral segundo distintas áreas de avaliação: formação, motivação, desempenho, comunicação, colaboração, orientação para o cliente e ambiente/ condições de trabalho;
  • Segmentação dos funcionários em função das Unidades de Trabalho que compõem a BAL, para obter uma visão mais firme na análise posterior;
  • Compromisso da direção da BAL com a comunicação do projeto em todas as suas fases para conseguir a adesão de todas as pessoas no exercício, incluindo a posterior comunicação dos resultados. Este aspeto foi importante para a participação dos colaboradores, como exercício de proximidade entre direção e operação, e como mostra de compromisso, dotando de credibilidade um projeto vital para a articulação de ações posteriores;
  • Vinculação dos resultados a uma planificação articulada de ações de melhoria a curto, médio e longo prazo, que foram comunicadas de maneira clara e transparente a toda a organização no final do projeto;
  • Vinculação das ações planificadas a: tarefas a realizar, prazos associados, responsáveis, resultados a obter e indicadores de monitorização desses resultados.

Artigos relacionados

 

8 sinais de que um funcionário deve ser dispensado (e que não surgem nas avaliações de desempenho)

Muitos colaboradores são medíocres. Alguns são péssimos. E depois há aqueles que são completamente tóxicos mas que vão passando despercebidos no radar. No entanto há forma de os detetar. 

 

E = mc2 (ou como a nossa energia afeta o desempenho)

A energia (E) que empregamos nas nossas funções varia com dois fatores: a motivação (M) e o carácter (C). Assim, perceber como está a nossa energia e a de cada membro da nossa equipa é fundamental para entender até onde cada elemento pode ir e que valor pode aportar ao grupo. 

 

Motive e capacite a sua equipa com 10 passos

Os seus colaboradores querem confiar que, enquanto líder, toma decisões que têm um impacto positivo na organização. Mas também é importante que se sintam capacitados para tomarem decisões relevantes.


In Leadership Agenda N.º 3 (publicação que tem por objetivo divulgar metodologias e novas ideias nas áreas da gestão e da liderança, tendo por base o centro de competência e o conhecimento adquirido pela Leadership Business Consulting em mais de 900 projetos realizados em oito países nas áreas da estratégia, marketing e finanças, organização e gestão da mudança, operações e performance, desenvolvimento de talento, formação ou tecnologias de informação).